Avaliação psicológica

5 lições que aprendi trabalhando com Avaliação Psicológica por Dalton Breno Costa

Não é novidade para ninguém que ao longo de uma carreira temos aprendizados diários. Quando o assunto é avaliação psicológica isso não é diferente. Conforme o tempo passa, vamos aprofundando nossos aprendizados e desenvolvendo um olhar crítico a respeito do nosso trabalho e das habilidades necessárias para executá-lo com excelência. Ao trilhar este caminho, a primeiro e mais importante lição é sobre:

1 – O tempo
O tempo que um avaliador fica com um avaliando é extremamente precioso, sendo necessário um planejamento para aproveitar o máximo possível aquele tempinho para conhecer o avaliando e atender às suas necessidades. Requer do psicólogo uma boa formação e experiência para saber se planejar e otimizar o tempo.

2 – A quantidade de informação
Qual é sua técnica de anotação durante uma avaliação? Tem gente que gosta de pranchetas, outros de post its … cada um tem seu jeito de anotar. Mas um fenômeno que é comum é o excesso de informação extraído e que podemos nos perder em meio a tantas anotações e avaliandos. É comum se perder e se confundir, por vezes, há casos complexos que não conseguimos raciocinar considerando todas as informações fornecidas.

3 – Imprevistos acontecem
Todo processo avaliativo pode ter imprevistos e o profissional precisa estar preparado para isso. O processo exige do profissional flexibilidade e capacidade de improviso diante de informações que surgem no decorrer do processo.

4 – O trabalho não acaba
O trabalha não acaba quando o avaliando saí do consultório. O trabalho continua querendo do profissional capacidade analítica e raciocínio clínico sobre o caso. Além disso, é necessário reservar tempo para construção de documentos técnicos e na devolutiva para o avaliando.

5 – Somos limitados
Nos livros de psicologia é dito que precisamos planejar e nos organizar com o tempo, obter as informações com qualidade, estar preparado para imprevistos e entregar ao paciente os resultados da melhor maneira possível. Mas algo que não está nos livros é sobre nossas limitações, o profissional da psicologia não consegue coletar e analisar centenas de informações com qualidade. Um processo de avaliação psicológica para ser bem-feito, como é dito nos livros, deveria contar com o apoio de ferramentas digitais que favoreçam o processo de avaliação.

Daqui pra frente é com você! Quais lições aprendidas na sua carreira como Avaliador(a) Psicológico(a)?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *